Controlo de tempos

Para esta pista de teste procurei encontrar uma opção para realizar o controlo de tempos e conta voltas que fosse económica e de fácil implementação. Após algumas buscas no sítio/google do costume encontrei um software gratuito que permite a detecção dos carros através de um secção neutra/isolada. Ou seja, basta isolar uma pequena secção da fita de cobre da restante fita que recebe energia, e ligar esta secção a um PC através da porta paralela (cabo de impressora).

Desta forma consegui obter o que pretendia a custo €0.00. O software é absolutamente gratuito e cabos de impressora antigos (porta paralela/25pinos) são facilmente adquiridos. No meu caso tinha um disponível em casa, mas caso não possuas um cabo de impressora, com certeza que não terás dificuldade em encontrar um amigo que te possa oferecer um cabo desses. (o cabo será irremediavelmente destruído).

O Ultimate Racer 3.0 é um software que para além de controlar os tempos e contar as voltas, também serve como sistema de gestão de provas e configurador de pistas. Pode ser utilizado em pistas até 8 calhas e segundo o seu autor consegue ter uma precisão de detecção de carros até 1/1000 segundos.

Informação técnica:

  • Compatível com IBM PC 486 ou superior
  • Windows 98, 2k, XP
  • Espaço em disco necessário: 20 MB
  • Resolução do ecran 1024 x 800/256 cores mínimo
  • RAM: 64MB ou superior

Para mais informações detalhadas acerca deste software, ou para fazer o download, deves consultar o web site http://www.uracerweb.org/ (Inglês).

Para discutir assuntos relacionados com o software deves consultar este fórum http://slotcarillustrated.com/portal/forums/forumdisplay.php?f=71&order=desc (Inglês).

Se mesmo assim ainda tiveres dúvidas, envia-me um email para geral@slotarena.net, tentarei ajudar a esclarecer todas as dúvidas que surgirem.

Como é feita a detecção dos carros

A detecção dos carros é feita através de um sensor constituído por uma pequena secção neutra de fita de cobre (dead-strip) (positivo e negativo). Diz-se que esta secção é neutra porque está isolada da restante fita de cobre que recebe a energia da fonte de alimentação.

Quando as patilhas do carro passam nesta secção o sensor é activado. A activação acontece através da ligação dos fios "positivo" com o "negativo". Dessa ligação resulta uma comunicação com o computador, através de um impulso eléctrico. Por sua vez, o Ultimate Racer identifica esse impulso como sendo uma passagem do carro. A cada impulso é adicionada 1 volta e o cronómetro reinicia a contagem.

Este pequeno corte de energia ao motor do carro em nada influência o andamento em corrida. No entanto, se por qualquer razão o carro parar nesta secção terá de ser movido manualmente até ultrapassar a secção isolada.

A Secção Neutra (dead-strip)

A secção neutra é constituída por dois pedaços de fita de cobre (positivo/negativo), com cerca de 3cm de comprimento cada, e com um afastamento de cerca de 2cm da restante fita que recebe energia da fonte de alimentação. Segundo informação do autor do software os cerca de 3cm de fita são suficientes para a detecção do carro em plena recta da meta, onde o carro pode atingir velocidades máximas.

O sensor não deve ser aplicado imediatamente antes e depois das curvas, sob pena de as duas patilhas não estarem em contacto com a fita de cobre.


O isolamento do sensor é necessário para que não haja contacto com a fonte de alimentação. Somente o computador pode emitir e receber energia do sensor. Os 2cm que separam o sensor da restante fita podem ser variáveis. Ou seja, esta separação está directamente ligada, e deve ser superior, ao tamanho das patilhas dos carros a utilizar na pista, de modo a evitar a passagem de corrente da pista para o sensor.

Se todos os carros possuírem patilhas com 1cm de comprimento, o afastamento pode ser de 1,5cm, com segurança. No entanto, quando utilizares um carro pela primeira vez não te podes esquecer de verificar o tamanho das patilhas.

O modo de ligação que aqui explico é simples e eficaz, mas não é o mais seguro para o computador. Uma vez que, o sensor irá estar ligado directamente à porta paralela do computador sem qualquer dispositivo de protecção de picos de corrente. Deves ter muita atenção em não deixar passar corrente da fonte de alimentação para o computador.

A secção neutra obriga a um corte na fita de cobre e consequente interrupção da passagem de corrente. Por isso, é necessário efectuar uma ponte de ligação de energia na fita de cobre. No meu caso liguei a fonte de alimentação directamente às duas secções que ficaram separadas pelo sensor (ver imagem seguinte: pontos 1 e 2 ligam à fonte de alimentação. O ponto (a) é a ligação do sensor ao cabo de impressora).

No caso de a tua fonte de alimentação estar distante do sensor, podes ligar as duas secções directamente, fazendo uma ponte sobre o sensor.

Como conectar a pista ao computador

A conexão da pista ao computador é efectuada através de um cabo de impressora e da porta paralela.

A ficha macho é ligada à porta paralela do computador e a ficha fêmea é retirada/cortada a fim de possibilitar a ligação de dois fios específicos aos dois pedaços de fita da secção neutra de cada calha.

O cabo de impressora contém 25 fios e 25 pinos. O software utiliza os pinos 1, 10, 11, 12, 13 e 15 para detecção, ligados à fita do lado positivo (+) do motor do carro, e o pino 25 é ligado à fita do lado negativo (-) do motor do carro. Nesta pista em particular utilizei os pinos 12 e 25.

No caso de a tua pista ter 2 calhas, podes utilizar os pinos 10 e 12 para detecção e o 25 recebe ambas as ligações do lado negativo (-).

A ligação dos fios à fita de cobre pode ser efectuada da mesma forma que se ligam os fios da fonte de alimentação à fita. Através de um furo no MDF junto á fita, passam-se os fios por baixo da pista e soldam-se à fita. Para informação mais detalhada ver Fonte de Alimentação.

Na imagem seguinte mostro como efectuei a ligação dos fios que saem do sensor ao cabo de impressora, no ponto (a). Os fios que foram soldados à fita são ligados a uma união, e os fios seleccionados do cabo de impressora são ligados no outro extremo da união.

Os dois bocados de fio junto aos fios que saem do cabo da impressora, servem para fazer volume, é que os fios do cabo são extremamente finos e os parafusos da união não os seguravam.

Identificação dos pinos

A identificação dos pinos relativos a cada fio foi efectuada utilizando um multímetro. O multímetro é um aparelho que mede a resistência entre dois pontos de um material condutor. Chama-se "Multímetro" porque agrega várias medições: tensão, corrente e resistência tanto em corrente alterna (AC) como em corrente contínua (CC ou DC).

Para utilizar o multímetro para este teste, posicionei-o na opção de ohmímetro.

Com o aparelho devidamente regulado, realizei a medição posicionando uma das pontas de prova em contacto com o pino 25 e a outra ponta de prova foi passando de fio em fio, na outra extremidade do cabo. Quando encontrei o fio correcto o multímetro foi activado e indicou o respectivo valor de resistência. Logo de seguida marquei o fio de forma a saber qual o pino correspondente, utilizei um pedaço de fita crepe colado no fio e escrevi o número do pin correspondente. Seguidamente procedi da mesma forma para o outro pino pretendido.

Caso não possuas um multímetro, podes efectuar a identificação dos pinos à maneira antiga: com uma pilha de 9V e uma lâmpada de foco, ligas um fio do pólo positivo da pilha ao respectivo conector da lâmpada, outro fio sai do pólo negativo da pilha e liga ao pin pretendido, um terceiro fio sai do outro conector da lâmpada e vai passar de fio em fio na outra extremidade do cabo de impressora. Quando a lâmpada acender é sinal que encontraste o fio correspondente ao pino.

Atenção: Se o software não detectar todas as passagens dos carros, a causa pode ser um erro na ligação dos fios. Se possível experimenta correr com o carro no sentido inverso, ou alterna a ligação dos fios do cabo de impressora ao sensor.

seguir para:



Partilhar no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

3 comentários:

  1. Muito bom trabalho. Tem alguma ideia para contagem de voltas para uma pista digital? em que conta é o carro e não a via por onde anda? Obrigado.

    ResponderEliminar
  2. Parece-me que a malha em cobre é de mais fácil colocação, principalmente nas curvas, sabe onde comprar?
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  3. Estava a pensar fazer algo semelhante mas em Placas de isolamento (por serem mais leves) para elevar bascularmente para o tecto. Acha que terá bom resultado, no que toca à colagem da fita/malha?
    Obrigado.

    ResponderEliminar