Perfurar a calha

Depois do desenho concluído é chegada a altura de perfurar a calha, e para isso nada melhor que utilizar uma tupia. Para quem não sabe, como era o meu caso, a tupia é uma ferramenta eléctrica que serve para efectuar cortes, ranhuras ou perfis. Tem uma base que assenta no material a trabalhar, e uma fresa no centro que efectua a ranhura com o diâmetro e profundidade pretendidos.

Existem várias tupias no mercado, de várias marcas e variados preços. A tupia que utilizei foi comprada numa grande superfície comercial, tendo aproveitado uma promoção, ficou-me em 35 euros. A fresa de 4mm de diâmetro ficou-me em cerca de 7 euros. Tendo em conta o preço da tupia posso afirmar que o resultado final é bastante satisfatório, e a fresa está pronta para outra "rodada".

A largura da calha pode variar entre 3 e 4 mm, neste caso e devido à curvas de raio mais reduzido utilizei uma fresa de 4mm. A profundidade da calha pode variar entre os 6 e 8 mm, dependendo do tipo de carros a utilizar na pista (altura do patilhão/guia). Neste caso coloquei a fresa com uma profundidade de 8mm.

Na imagem acima são mostradas as ferramentas a utilizar, e execução parcial da calha:

  • Tupia;
  • Fresa;
  • Martelo;
  • Mangueira semi-rígida com cerca de 20mm de diâmetro;
  • Pregos com cerca de 30mm;
  • Pedaço de madeira;
  • Ripa de madeira com cerca de 1.5m de cumprimento, perfeitamente plana (não incluída na imagem);
  • 2 parafusos de madeira (não incluídos na imagem);

A perfuração da calha é uma tarefa relativamente simples e de rápida execução, mas requer paciência e concentração. Para se conseguir uma transição suave das curvas para as rectas, deve-se iniciar a perfuração das curvas e depois as rectas.

Para que a tupia siga o desenho traçado é necessário recorrer a uma guia onde se encosta a base esquerda, nas curvas utilizei a mangueira e nas rectas utilizei a régua de madeira.

A guia utilizada nas curvas consiste num pedaço de mangueira semi-rígida, com um diâmetro idêntico à altura da base da tupia e 2m de cumprimento. A mangueira é fixada ao MDF através de pequenos pregos, com um espaçamento de cerca de 7cm entre cada prego.


A distância da mangueira/guia à calha a perfurar é igual à distância entre o centro da fresa e o limite da base da tupia. Para facilitar a aplicação da mangueira utilizei um pedaço de madeira de tamanho igual à distância entre a guia e a calha a perfurar.

Iniciei e finalizei a perfuração das curvas com uma recta de cerca de 0.5cm, a fim de conseguir uma boa transição entre as rectas e as curvas.

A guia utilizada nas rectas consiste num pedaço de madeira (régua) com uma face perfeitamente plana onde a base da tupia vai encostar. Nesta régua apliquei dois parafusos de fixação ao MDF.

Coloquei a tupia na posição de corte no final da curva que antecede a recta a perfurar e encostei a régua à base da tupia, aparafusando o primeiro parafuso mesmo junto à base da tupia. Desta forma a régua pode ser regulada no outro extremo sem perder o primeiro ponto de fixação. De seguida coloquei a tupia, na posição de corte, no inicio da curva seguinte à recta a cortar, e aparafusei o segundo parafuso. Desta forma consegue-se uma boa ligação entre as rectas e as curvas.

Correcção de erros ou buracos no MDF

Uma vez que esta pista é composta por várias placas de MDF, existem diversas fendas e buracos dos parafusos para tapar. Para isso utilizei massa própria para corrigir falhas na madeira.

A massa/pasta pode ser aplicada com o auxílio de duas espátulas. Primeiro retirei um pedaço de massa com uma espátula, e tapei a lata para a restante massa não secar. Depois pressionei a massa entre as duas espátulas, durante alguns segundos (como quem barra manteiga no pão), para que a massa fique mais moldável e consistente. De seguida apliquei a massa nos locais a preencher, pressionando com a espátula.

Normalmente, e após a secagem, a massa tem tendência a contrair. Assim, apliquei uma camada com uma altura de cerca de 1mm acima da superfície a corrigir. Posteriormente utilizei uma lixa fina para remover o excedente e uniformizar a superfície.

Erros a evitar

A utilização da tupia requer paciência e concentração. Se é a primeira vez que utilizas esta ferramenta aconselho-te a leres o manual com atenção e a respeitares as indicações do fabricante.

A maioria das tupias vêm equipadas com um regulador de rotações, que serve para adequar a rotação da fresa ao tipo de material que se está a trabalhar. Antes de iniciares a execução da calha deves testar a rotação e a força empregue na ferramenta, utilizando uma placa de MDF sobrante.

A rotação demasiado baixa ou demasiado elevada pode esfarelar o MDF nas extremidades da calha. Não é a força que se exerce na tupia que faz a perfuração, mas sim a rotação da fresa. Por isso, a força empregue na tupia deverá ser a suficiente para fazer avançar a ferramenta, evitando a quebra da fresa.

Anteriormente referi que a tupia deve ser encostada à guia sobre o lado esquerdo da sua base, isto deve-se ao sentido de rotação da tupia que utilizei. Deves consultar o manual do fabricante para saber qual o sentido de rotação da tupia utilizada.

Durante a perfuração da calha deves manter a tua concentração em dois movimentos em simultâneo. O movimento de progressão da ferramenta, que deve ser constante, e o movimento de condução da ferramenta. O movimento de condução da ferramenta consiste em manter a sua base constantemente encostada à guia. Se este movimento for esquecido, e devido ao sentido de rotação da fresa, a tupia seguirá o sentido contrário ao pretendido, tanto nas curvas como nas rectas.

A tupia tem uma posição própria de funcionamento (ver manual do fabricante) e a sua progressão deve ser sempre para a frente, com as duas mãos apoiadas nas pegas de condução.

As curvas devem ser sempre perfuradas do lado de fora da guia, independentemente do sentido de rotação da fresa. Ou seja, numa curva à esquerda a tupia deve trabalhar do lado direito da guia.

Nunca retires as mãos das pegas sem que a fresa pare de rodar.

Segurança

O MDF é composto basicamente por serradura e resinas, durante o corte ou perfuração liberta um pó muito fino que com toda a certeza não o vais querer respirar. Durante o corte ou perfuração do MDF deves usar uma máscara, protecção para os olhos, e o local deve ser bem ventilado. No caso de utilizares a tupia dentro de casa é aconselhável ter o aspirador por perto, o pó do MDF espalha-se por todos os cantos.

A tupia é uma ferramenta muito barulhenta, convém utilizares uma protecção para os ouvidos.

seguir para:



Partilhar no Google Plus
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Enviar um comentário